sábado, 19 de setembro de 2015

Destino: Buenos Aires

Turistando por Buenos Aires



1º Dia: 

O que posso dizer de primeiro momento ao chegar em Buenos Aires? Encantadora! Escolhemos para viajar em julho para aproveitarmos o frio. Frio combina muito com uma viagem romântica! 

Chegamos pelo Aeroporto de Ezeiza no horário de almoço, aproveitamos e paramos no Durty Free da sala de desembarque. Nossa gente, quanta diferença do nosso Brasil, os preços são BEM MAIS BARATOS comparados com o que pagamos no Brasil. Aproveitamos e fizemos umas "comprinhas"! Se você quiser esperar para comprar na volta vale mais a pena, pois o durtyfree do embarque é maior e você pode comprar em pesos ou dólaresO durtyfree de Buenos Aires é o mais barato do mundo inteiro por isso aproveite!

Pegamos um táxi e pagamos 320 pesos, esse é um preço fixo na maioria dos taxistas. Muito cuidado nessa hora, sempre pegue os táxis em frente a entrada do aeroporto, é mais seguro e são táxis oficiais!

Nos hospedamos no Pulitzer Hotel, a rede de hoteis está espalhada no mundo inteiro. Amamos o lugar! Tem um post aqui no blog só sobre ele: Pulitzer Hotel. Na recepção nos informamos sobre os shows de tango na cidade, decidimos ir no melhor e mais conhecido é show de tango que é do Señor Tango, mas tem vários espalhados pela cidade, depende do gosto de cada um. Os funcionários do hotel foram ótimos conosco e nos deram muitas dicas, eles ligaram no Señor Tango e já fizeram nossa reserva (mais abaixo explico tudo sobre preços e horários do show de tango).

A tarde estava muito bonita e formos passear por Palermo, descemos na Plaza Armenia, passeamos um pouco ao redor (como era domingo tinha uma freirinha artesana super cooll). Paramos no LIMBO Restaurante (endereço: Armenia 1820), um lugar charmoso e com ótimas opções pra beber e comer.


Como era nossa primeira noite queríamos algo romântico para comemorarmos nossa viagem. Escolhemos o melhor espetáculo de Tango: Señor Tango, como contei pra vocês ai em cima. Localizado no Bairro de Barracas, próximo ao centro da cidade o Señor Tango tem serviço de translado de hotéis. Você liga, faz sua reserva, eles marcam um horário para te buscar e te levam de volta ao seu hotel quando o espetáculo acabar. Tudo muito seguro e organizado!


O tradicional tango de Buenos Aires é um passeio obrigatório conhecido no mundo inteiro. Vale a pena se emocionar e se encantar!


Se você quiser saber mais sobre o tango argentina veja nosso post especial sobre o assunto:

O FAMOSO SHOW DE TANGO ARGENTINO


O preço estava em torno de 400 pesos para o assistir o show. A maioria dos espetáculos de tango são essa média. Porém VALE MUITO A PENA!


Mais informações pelo site:http://www.senortango.com.ar/



2º Dia: 

No segundo dia resolvemos "turistar" por Buenos Aires, escolhemos os lugares mais conhecidos para ir. Como estava bastante frio, tomamos o café no hotel e saímos de lá por volta das 11:30h. A sensação que tivemos quando sai do hotel é que estava entrando em uma geladeira, a sensação térmica era de 10 graus, o que nessa época de Julho é normal.

Formos a Calle Florida, a rua mais famosa de Buenos, onde milhares de pessoas passam por lá todos os dias. É uma rua para pedestre, por isso os carros nunca passam nela. Há muitas lojas, restaurantes fast food, sorveterias e cafés tradicionais. As lojas funcionam entre 10h as 20h, nela você encontra muitos brasileiros, até os argentinos nos reconhecem de longe (risos), é algo até engraçado você nem precisa falar nada e eles já começam a falar "brasileiro, brasileiro".

PORÉM, MUITO CUIDADO NESTA RUA, você pode ser roubado sem perceber. Os brasileiros são alvos fáceis lá para roubo, eles mexem na sua carteira, bolsa e você nem nota. Costumo falar que "as mãos dos argentinos são leves demais", então TODO CUIDADO é pouco. Não dê bandeira do tipo ficar mexendo no celular toda hora, deixar celular e dinheiro em bolsos de jaquetas e blusas de frio com fácil acesso. Quando eu fui, estava de botas e coloquei meu dinheiro e celular dentro delas, foi bem tranquilo. rs 


Muita gente nessa rua oferece troca de câmbio, cuidado! A maioria te puxa pra beco e quando você perceber esta sendo vitima de assalto. Não saia de casa com muita coisa, pense no quanto você vai gastar em média no dia e leve o necessário, não precisa sair levando passaporte e cartões de crédito se você não vai usar.



Aproveitamos para conhecer a Galerías Pacífico (que fica entre Florida com a Avenida Córdoba). Um importante centro comercial desde 1894, sua arquitetura e decoração são encantadoras, suas fachadas são pintadas por dentro. Eu me encantei com tamanha beleza! Lá dentro costuma ser um pouco mais seguro, aproveite e tire muitas fotos.







Continuamos andando até acharmos o ponto do "Buenos Aires Bus", um bus turístico que faz um tour pelos principais pontos da cidade. Incrível! Um passeio obrigatório aos turistas. Você pode descer em qualquer parada e aproveita para conhecer por alto vários pontos turísticos da cidade. A Parada 0 se localiza na Florida com a Diagonal Norte. 





O ingresso custa 120 pesos para pessoas acima de 12 anos, entre 4 a 11 anos custa 85 pesos e entre 0 a 3 anos é grátis. Pessoas com necessidades não pagam, mas os acompanhantes sim.


Dentro do Bus tem um guia e todas as cadeiras tem serviço automático em diversos idiomas (português, inglês, italiano, alemão, árabe, chinês mandarim, francês, hebreu, japonês) explicando cada lugar que se passa, muito legal pois além de conhecer os lugares você fica sabendo um pouco mais da história de cada um.




Aproveitamos para almoçarmos antes próximo a parada do Bus. O restaurante bar se chama Ecuador. Muito bom! Preços acessíveis. Os pratos achei grandes, você pode pedir um maior e comer tranquilamente os dois. Em média custa 130 pesos cada prato. Funcionários do Ecuador são educados, o que é muito importante em Buenos, pois não costumam ser educados com estrangeiros. 

Se acostume a comer pães, todos os lugares as entradas são sempre pães com algum molho, que por sinal são deliciosos. Aproveite também e peça uma Quilmes, a cerveja argentina que é desejada no mundo inteiro.


Após o almoço voltamos para a parada e começamos nosso passeio de Bus.Conhecemos melhor Buenos Aires! Passamos na famosa cafeteira de Buenos Aires, o Café Tortoni. É um dos mais antigos da cidade, visitado por muitos turistas. Ele esta localizado bem próximo a Calle Florida, na Plaza de Mayo 825. Também fica próximo a Avenida 9 de Julio. 


Funciona de Segunda a Domingo das 8:00 as 03:00h. 


Eu adorei conhecer quase tudo de Buenos Aires em algumas horas. O bom do bus é que você fica lá em cima e vai descobrindo vários lugares de uma vez! 


Quem quiser parar pode escolher sua parada e descer para aproveitar melhor:



Passamos pelo bairro chamado La Boca. Um bairro localizado às margens do Riachuelo, foi o típico bairro de imigrantes, principalmente os italianos. Mas não vá neste bairro a noite pois é bastante perigoso. Vá de manhã, ou a tarde, de noite jamais!


O bairro é muito visitado pelos turistas, apesar de ser uma das áreas mais pobres de Buenos Aires. O estádio do Boca Juniors se localiza neste bairro, o que é uma das principais atrações por lá, por isso tome cuidado ao valor do Boca Juniors.


O Estádio se chama "Alberto Jacinto Armando", porém é conhecido mundialmente como "La Bombonera" e é a casa oficial do Boca Juniors. Inaugurado em 1940, tem capacidade para quase 50 mil espectadores. Se chama La Bombonera devido ao seu formato retangular, que parece uma caixa de bombom. Da La Bombonera para o Caminito é de apenas 4 quadras. O tour do La Bombonera acontece de hora em hora e custa 60 pesos com direito a entrada no museu, caso não queira o tour guiado o valor é de 45 pesos.


Logo depois, vem o Caminito. Famosa rua de Buenos Aires, chama atenção pelas casas coloridas, fica em frente ao Riachuelo. Lá você encontra lojas, restaurantes e shows de tango no meio da rua.


Logo depois paramos em Puerto Madero. Ficamos fascinadas com a arquitetura moderna de lá, totalmente diferente da parte antiga de Buenos Aires. Puerto Madero é um bairro nobre, atualmente é um dos bairros mais modernos da cidade. Da parada do bus até a Puente de La Mujer andamos um pouco, umas 3 ou 4 quadras por ai. É só você perguntar e ir andando.

Olha esse lugar gente, maravilhoso:



Bem próximo a Puente, tem a loja Havanna. Aproveitamos para comer o melhor alfajor do mundo e tomarmos um café. Alfajores são os Havannas e ponto final, você vai se apaixonar por eles! Vai querer comprar vários, assim como eu comprei.. rs




Logo mais na frente paramos no Restaurante Ásia de Cuba. Muito bonito e luxuoso! Pegamos uma mesa mas como era final da tarde quase estava vazio, pedimos o cardápio mas não gostamos do atendimento, com certeza deixou muito a desejar. Por relatos de outros amigos percebi que infelizmente o restaurante tem essa característica de atendimento ruim! Por ser caro deveria ter um atendimento exemplar.  



Paramos na famosa Puente de la Mujer. A ponte gira 90 graus para permitir a passagem dos navios. É um belo cenário para tirar várias fotos! Aproveitamos o lindo pôr do sol e tiramos nossas melhores fotos. 



Ao lado da ponte fica o Navio e Museu "Fragata Sarmiento", construído na Inglaterra no final do século XIX. Por 2 pesos você pode ter acesso às dependências da embarcação e acaba conhecendo tudo por dentro. É muito bonito!




No inicio da noite pegamos um táxi e voltamos para o hotel. Nosso dia foi bem agitado e cansativo, mas valeu a pena cada segundo. A noite preferimos ficar no hotel para jantarmos e aproveitarmos a noite a dois..


3º Dia:

Pela manhã, começamos indo para a Livraria El Ateneo Grand Splendid

É um ponto turístico para os visitantes de Buenos Aires. Considerada a MAIOR LIVRARIA da América Latina e a segunda mais linda do mundo, se destaca pela sua arquitetura e decoração. Um passeio obrigatório principalmente para os amantes de livros. Se localiza no Centro de Buenos Aires, em uma das avenidas mais conhecidas da cidade, Avenida Santa Fe. O melhor de tudo é que não paga nada para conhecer a livraria.


Um ótimo programa turístico e cultural! 


É muito lindo tudo nesse lugar!


Endereço: Avenida Santa Fe, 1860.

Depois, partimos para o bairro Recoleta. Como estava bastante transito, preferimos ir a pé. Foi uma caminhada um pouco cansativa, mas valeu a pena por conhecer bem a cidade. Se você não gosta de andar pode ir de táxi. Um bairro elegante e cheio de jovens, talvez pelo fato de os mais famosos bares e restaurantes estão por lá. Aos sábados, domingos e feriados funciona uma feira muito bacana para conhecer, há vários artistas de rua que mostram seu trabalho (fica em frente a Igreja del Pilar).


O bairro começou em 1871 com a chegada de famílias ricas na zona sul da cidade. As casas até hoje possuem estilos arquitetônicos franceses. Alguns pontos turisticos se localizam nesse bairro: a Igreja Nossa Senhora de Pilar, Palais de Glace, Cemitério da Recoleta, Floralis Generica, o Centro Cultural Recoleta, o Museu Nacional de Belas Artes, a Biblioteca Nacional, entre outros.

Cemitério da Recoleta é um dos cartões postais mais procurado entre os turistas. Foi inaugurado em 1822. Considerado mais que um cemitério, um museu por dois motivos: o grande número de obras de artes e os restos mortais de personalidades famosas. 

Endereço do Cemitério: Junín 1760



Uma das tumbas mais procuradas é a de Eva Duarte de Perón (Evita), esposa do general Juan Domingo Peron, seu trabalho social foi conhecido no mundo inteiro e foi considerada a Defensora dos trabalhadores.



Para saber mais da historia de Evita, um ótimo vídeo: 


Na saída do Cemitério fica o Hard Rock, uma ótima opção para tomar uma bebida gostosa e almoçar. A decoração é show de bola! 







Ao lado fica o shopping Recoleta Mall, tem um perfil luxuoso e é muito moderno. Frequentado por público mais jovem e possui lojas de grandes marcas, a praça de alimentação é muito boa e tem muitas opções para um lanche, almoço ou até mesmo jantar.




Ai está um mapa que pode ajudar um pouco para quem quer ter uma noção de distancia entre lugares:


Nosso passeio durou um dia inteiro. Espero que as dicas tenham sido boas! A noite formos ao Café Ditali Pizzas & Comidas, ficava em frente ao nosso hotel. De entrada pra variar: pães rs. Experimentamos a empanada tão falada de Buenos Aires, uma delicia e tem vários sabores. 



Endereço: Maipu 908. 

4º Dia:

Separamos o dia para conhecer o Zoo Lujan. Sou apaixonada por Leões e quando soube do Zoo Lujan não pensamos duas vezes em ir. E com certeza até hoje foi um dos melhores passeios. Um conselho para os que vão: ir pela manhã, o Zoo abre as 9:00h, é muito procurado entre os turistas por isso é sempre cheio e para cada animal você acaba pegando uma fila para poder entrar na jaula. Então indo pela manhã você pode voltar a tarde pra Buenos Aires.

  
Zoo de Luján é um zoológico único, onde os visitantes podem interagir com os animais. Se localiza na cidade de Luajn, província de Buenos Aires. Luján é outra cidade, então é necessário praticamente um dia inteiro para conhecê-lo. Em media 2 horas de Buenos Aires. Em Buenos Aires tem o Zoo Buenos Aires, porém não é tão legal quanto o Zoo Lujan pois é um zoológico comum.  A experiência é INESQUECÍVEL.

Procuramos na internet como ir para o Zoo e vimos que dava pra ir de ônibus. Então formos para Plaza Italia, tem uma parada onde o ônibus que vai para o Zoo fica, perguntamos quanto era e formos informadas que para entrar no ônibus tinha que adquirir o cartão azul chamado "tarjeta". E essa tal tarjeta é vendida e abastecida nos correios, procuramos um próximo a praça. Quando achamos perguntamos para o funcionário de lá qual o valor que deveríamos abastecer no cartão ele disse em 30 pesos, colocamos os 30 pesos e voltamos para a parada. Quando entramos no ônibus, bem em frente tem "ZOO LUJAN" o cobrador passou quase 20 pesos. Percebemos e perguntamos quanto que era pra ir e voltar, ele disse 40 pesos. E para abastecer mais a tarjeta teríamos que ir atrás de outro ponto para abastecer. Como estavamos já dentro do onibus com mais 6 brasileiras na mesma situação resolvemos ir até o próximo ponto onde poderíamos abastecer o cartão. Tudo por culpa de um argentino que nos passou informação errada, por isso cuidado gente, nem todo mundo é legal com brasileiro lá.


Paramos na cidade de Lujan e perguntamos se poderiamos descer somente para abastecer, o cobrador disse que para sair e voltar teríamos que pagar novamente a entrada. Então ficamos dentro do ônibus até chegar ao Zoo Lujan. A parada que chega ao Zoo é do outro lado do viaduto, tem que atravessar para chegar a entrada do Zoo. Eu sinceramente me arrependi de ir de ônibus, foi uma situação bem chata. Estávamos com dinheiro nos bolsos e passamos por essa situação. Chegando no Zoo Lujan, pagamos a entrada de 200 pesos e lá na entrada tem transfer com horários dos quais você paga 70 pesos e te deixam em frente o Obelisco. Não pensamos duas vezes e pagamos, a volta já ficou garantida. Ufa.. Passando esse sufoco, aproveitamos muito o Zoo Lujan. 




Você encontrará leões, tigres, ursos, cavalos, camelôs, elefantes, iguanas, araras, avestruzes, pavões, cobras, porcos, coelhos, galinhas e outros animais.




Preço da entrada: 200 pesos argentinos


Como chegar: há duas opções: Carro, táxi, ônibus ou van. Para ir de carro, você deve contratar um transfer particular ou alugar um carro, o que é mais complicado. O táxi sairá caro. O ônibus não é confortável e lhe faz perder muito tempo, sem falar que tem que comprar e carregar o cartão azul. Sendo assim, a melhor opção são as vans compartilhadas. Consulte o seu hotel, com certeza eles te irão indicar algum!

Mas fala se não vale a pena?


Ficamos até o final da tarde.Voltamos de van, pegamos a van que estava na entrada do Zoo.A van parou no Obelisco, onde tiramos algumas fotos e aproveitamos para conhecer os restaurantes próximos. 


Depois voltamos ao hotel. Tomamos um banho e formos atrás de algum lugar para comer, o que era difícil encontrar algum lugar aberto na quarta-feira as 23h, não tivemos outra opção a não ser comer no Burger King que era o único lugar aberto tarde da noite.

5º Dia:

Nosso quinto dia em Buenos Aires e decidimos andar de metro. Como estávamos perto da Plaza San Martin, pegamos o metro lá mesmo. Baixamos um aplicativo no celular chamado "Buenos Aires Subway Lite" que me ajudou muito a saber qual linha eu deveria pegar pra chegar na Casa Rosada. O preço do metro é 5 pesos. Pelo transito que pegaria dentro do táxi para chegar a Casa Rosada valeu a pena! Só não fique dando bandeira com celular e dinheiro. 


Plaza San Martin é como se fosse o centro de Buenos Aires. É muito agradável e vale a pena conhecer. É bem arborizado e com bancos para sentar, muitos turistas e argentinos costumam ir lá.


Nessa praça fica o Museo de Armas de la Nácioncusta 2 pesos para visitação. Foi criado em 1904 e abriga a maior coleção de armas do país, com mais de 2 mil objetos exibidos em 18 salas. Destaque para a sala do Oriente, com armas, armaduras, espadas e cutelaria de japoneses e chineses.

E o turismo valeu a pena viu? Na Plaza de Mayo você conhece de uma vez só a Catedral de Buenos Aires, o Mausoléu de San Martin, Banco de la Nación Argentina e a Casa Rosada





Casa Rosada é o lugar onde tudo acontece, também conhecida como Casa do Governo foi declarada Patrimônio Histórico Nacional. Sabe por que a cor rosa? Na época que foi construída o governo não possuía muitos recursos e a tinta mais barata era o rosa, pois era feito de tinta branca com sangue de vaca. E hoje é um dos cartões postais mais bonitos do mundo! Possui visita guiada gratuitas, porém só aos sábados e domingos, como formos durante a semana acabamos só conhecendo de fora. Mas vale a pena de ir no final de semana para fazer a visitação! Do lado da Casa Rosada fica a Catedral Buenos Aires e o Banco de la Nación Argentina.







Depois formos  para Palermo, ouvimos muito falar de seus bosques e como não daria tempo de visitarmos todos, escolhemos o "Jardin Japonés". Um jardim muito bonito, do qual transmite uma paz e tranquilidade em meio a toda aquela loucura de cidade. É um local para relaxar, caminhar, aproveitar o verde e curtir a natureza. E claro, tirar muitas fotos! Um lugar muito bem cuidado e limpo. Lá dentro tem um restaurante japonês e também um pouco da culinária chinesa. As vezes o restaurante fica fechado, é bom se informar antes. Tem uma lanchonete lá também, com mesa e sombra no local. 


A entrada custa 20 pesos. O horário de funcionamento é das 10h as 18h.









Como estávamos perto formos conhecer o Planetário Galileo Galilei. Ele fica na Avenida Sarmiento y Belisario Roldon. Estava lotado! Uma dica: se você quiser ir para ver alguma sessão fique de olhos nos horários para compra.





Um cartão postal né? Lindo!




Próximo ao Planetário fica o MALBA, O Museu de Arte Latino Americana de Buenos Aires. Se localiza na Avenida Figueroa Alcorta 3415. É um museu muito rico e as exposições são lindas! Sem contar, que o museu é enorme, completo de artes plásticas. Vale a pensa visita-lo! A entrada custa em torno de 32 pesos.






Depois formos para a Avenida Santa Fe para comermos algo, quase todos os restaurantes dessa avenida são bons. O que formos foi o Babieca, tem pizzaria, pratos, doces, tudo. E um preço bem acessível. 




Endereço: Avenida Santa Fe 1898




Voltamos ao hotel. E a meia noite formos com amigos para balada de Buenos Aires. O nome é PUB SITGESa entrada foi $40 pesos, porém são de consumação. O chandon custava 80 pesos, então valeu a pena. Não ficamos muito porque queríamos apenas conhecer o lugar e brindarmos um pouco. 






6º Dia:

Sexto dia em Buenos Aires: formos a Puerto Madero.


Almoçamos no Brasas Argentinas, um restaurante ótimo! Você paga um valor de aproximadamente 80 pesos e come a vontade, ainda ganha sobremesa, com as taxas você paga quase 100 pesos. Recomendo! Adoramos esse restaurante porque ele além de várias variedades de saladas, frios, comida japonesa, massas e carnes ainda tem churrasco argentino.


Endereço: Juana Manuela Gorriti 701








Saindo de lá formos andar por Palermo, estava tão frio que decidimos parar no shopping Alto Palermo e formos na Starbucks, estava lotada, afinal frio combina com o que?


Shopping Alto Palermo é ótimo, fica na Avenida Santa Fe 3253. Um shopping tranquilo, espaçoso e bonito para passear. 





Voltamos para o hotel para curtir um pouco a dois e depois saímos para jantar com amigo.  Foi ai que conhecemos o Restaurante Piola, o que com certeza foi o que mais gostamos em Buenos Aires, pelo lugar, pela música, pelo ambiente, pela comida, por tudo...

Endereço: Libertad 1078 (com Av. Santa Fe)




7º Dia:

Hoje voltamos a Calle Florida, para comprarmos lembranças e algumas roupas. Passamos em vários "kioscos" e quase todos paramos, adoramamos os doces de Buenos Aires. Na hora do almoço o  lugar escolhido foi o Restaurante Ditali, pagamos 130 pesos e comemos bem, só faltou mesmo o "arroz brasileiro", o legal de lá é que eles aceitam real como pagamento por um câmbio bem maior que o normal.


A tarde formos ao Caminito, no bairro La Boca. É a rua mais famosa de Buenos Aires, também é a mais colorida e visitada pelos turistas. Chama atenção pelas casas coloridas, fica em frente ao Riachuelo. Lá você encontra lojas, restaurantes e shows de tango no meio da rua.  







A noite formos ao nosso restaurante escolhido como favorito nesses dias em Buenos Aires: Piola. hahahah Genteee ele é muito bom!!!



Sempre quis conhecer um Cassino, aproveitamos para conhecer o de Buenos Aires. É INCRÍVEL! Sem falar que funciona 24 horas. E detalhe: o dinheiro é em peso, então se perder não perde muito em real rs. Fica dentro de um barco e tem shows bem na entrada. O casino tem um serviço de transfer gratuito a cada 15 minutos, que parte da Avenida Córdoba.


O casino se localiza dentro de dois barcos, pois por lei não são permitidos jogos de azar em território portenho. Na parte terrestre fica a entrada, restaurantes e lojas. Você nem percebe a diferença quando esta dentro do barco atracado. É um máximo! 





Na entrada do casino existe detectores de metal e não é permito entrar com sacolas ou mochilas, caso você esteja com um desses itens deverá deixar no guarda-volumes, que é gratuito. Se você for com muitos agasalhos e lá dentro não sentir tanto frio, pode também deixar no guarda-volumes. 





Tem ambientes que é permitido fumar e por isso fede a cigarro, outros ambientes que não é permitido fumar. Lá dentro há mesas de poquer, de roleta e diversas máquinas caça-níquel. 






Nossa noite foi muito divertida! Vale muitoooo a pena ir ;)





8° Dia:




O domingo começou bem frio, saímos do hotel estava abaixo de 0º. O dia foi para conhecer o bairro  San Telmoconhecido como o bairro boêmio da cidade.


San  Telmo é considerada a área mais antiga de Buenos Aires, dizem que a cidade foi fundada ali, no Parque Lezama. Antigamente era conhecido como o bairro mais rico de Buenos Aires, mas no século 19 uma epidemia de febre amarela fez com que as famílias se mudassem para outros bairros.


Há varias antigas mansões em San Telmo que hoje são galerias de arte, casa de tango e antiquário. Você acaba se encantando com tanta beleza, tanta história. A associação local conta com mais de 500 antiquários cadastrados. Muitas peças foram trazidas da Europa há mais de 100 anos e pertenciam às famílias ricas que moravam por ali.




FEIRA DE SAN TELMO

Em San Telmo conhecemos também a famosa feira de domingos: a Feira de San Telmo, da qual funciona das 10 as 17hs. São dezenas de barracas, que vendem tudo quanto é tipo de antiguidades. Copos, pratos, telefones antigos, câmeras antigas, cristais, livros, canetas, ferramentas em geral, facas, muitos objetos em prata, colares e anéis. Mas você também encontra produtos novos, como roupas, chapéus e quadros. Há de tudo um pouco. O local além das muitas barraquinhas com antiguidade, tem vários artistas locais de todos os tipos, dançarinos de tango, artistas de rua em busca de alguns trocados apresentando seus talentos, com certeza um programa obrigatório. Os brasileiros adoram lá! No meio da praça tem lanchonetes e cafeterias. A feira é LOTADA! Como formos em Julho, estava MUITO FRIO, nesse dia particularmente a temperatura estava abaixo de zero, então se você for em épocas de frio procure se agasalhar!


                                                Endereço: Calle Humberto Primo







Depois, como estávamos com saudade da comida brasileira formos para um restaurante brasileiro, procuramos na internet e tinha várias indicações do lugar, então decidimos ir: BOTECO DO BRASIL, fica na Bonpland 1367, em Palermo, perto da Av. Córdoba. O telefone: 4776-4806

                                               Site:http://www.botecodobrasil.com.ar/



O restaurante é bem pequeno, mas a energia é toda brasileira. A decoração é super colorida com imagens das praias brasileiras e lugares famosos. As músicas são brasileiras e sempre tem show de mpb, samba.. A feijoada que provamos estava uma DELICIA. Sem falar do preço, por 70 pesos você come uma feijoada com acompanhamentos e é muito bem recebido! Indico ;) De lá formos para Recoleta

Apaixonamos no bairro, nos cativou desde a primeira vez. 




Aproveitamos e formos em uma das mais famosa sorveterias do mundo: Freddo. É uma tradicional sorveteria artesanal, que você encontrará em vários locais de Buenos Aires. A especialidade é o sorvete de Dulce de Leche.



Você escolhe o tamanho e monta o sorvete do seu jeito. Pode ser uma casquinha simples, com apenas uma bola, ou então um sorvetão, com vários sabores, caldas e toppings.



Esses são alguns dos sabores:

- Chocolate clássico

- Chocolate amargo

- Chocolate Freddo

- Banana Split

- Cheesecake com maracujá

- Maracujá com laranja

- Limão
- Banana
- Mousse de maracujá
- Mousse de chocolate




Depois passamos no Village Recoleta


No jantar formos ao Portezuelo Loungue. Um excelente lugar para ir! Ambiente romântico, com direito até velas. Ótima opção para casais e também com amigos. Grande variedade de comida e bebidas. É um point famoso entre os artistas brasileiros. 



Endereço: Vicente López 2160, Recoleta.

9º Dia:

Ultimo dia curtindo Buenos Aires formos a Calle Florida fazer umas "comprinhas" de ultima hora. Os doces dos "kioskos" em Buenos Aires são perfeitoooooooooos!!! Na Calle é legal para comprar presentinhos e roupas de frio. Mas, cuidado com a galera que oferece câmbio, de longe eles percebem os brasileiros e tentam passar a perna, por isso MUITO CUIDADO.


Na hora do almoço formos a Puerto Madero novamente, que lugar lindo! Sem falar das várias opções de restaurantes e lugares legais para conhecer. O almoço foi no Brasas Argentinas, não é atoa que faz muito sucesso entre os brasileiros, por ser um restaurante que tem arroz, o que em Buenos Aires é difícil achar.


Nosso jantar foi na Piola, com uma música de fundo e um bom vinho! Com certeza sentiremos falta de Buenos Aires...


Mais dicas aqui sobre Buenos Aires: +DICAS